Página principal




O Plano de Deus: Uma família de amor

Por Arnaldo Lima Teixeira, em 23/02/2018, 16:49h

O desejo de Deus desde o início era compartilhar seu amor. Eternamente existiu amor entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo. O desejo de Deus era ter filhos - uma família com filhos e filhas feitos à Sua imagem, que poderiam se relacionar intimamente com Deus de uma maneira que seria satisfatória para Ele. Crianças que seriam como ele, que o amariam de coração porque eles queriam o que o Pai quer. Este foi o propósito de Deus na criação - ter uma família a quem ele pudesse expressar Seu amor e de quem recebe amor (Efésios 3:14, 15, Efésios 1: 2-5).
O Pai e a Família
Tanto o Antigo como o Novo Testamentos revelam que Deus é um Pai. O Salmo 89:26 diz: "Ele clamará a mim: Você é meu Pai, meu Deus, e a rocha da minha salvação". O Salmo 68: 5 declara que Deus é um pai para o órfão e um defensor das viúvas. Deus pergunta onde Sua honra como Pai está (Malaquias 1: 6) no modo em que Seu povo o estava tratando. Deus se revela como Pai em todas essas passagens.
No Novo Testamento, Jesus Cristo nos deu uma revelação mais completa da Paternidade de Deus (João 14: 9). Ele ensinou aos discípulos a orarem: "Pai nosso, que está nos céus" (Mateus 6: 9). Paulo dobra os joelhos em oração "ao Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, de quem toda a família no céu e na terra é chamada" (Efésios 3:14, 15).
A paternidade de Deus revela que Ele é o autor e iniciador da vida, que Ele é caloroso, amoroso, generoso, bom e forte. A intenção de Deus era que fôssemos à Sua imagem, assim como Jesus Cristo era e é (Gênesis 1:27, Colossenses 1:15). O amor é a motivação do coração de Deus (1 João 4: 8).
A família do Pai começa com o Senhor Jesus Cristo, o eterno Filho de Deus. Deus, o Pai, amou Jesus antes da fundação do mundo (João 17:24). Jesus, muitas vezes, chamou Deus, seu Pai (João 10:29) e, no entanto, ele diz no versículo seguinte: "Eu e meu Pai somos um." (João 10:30). "No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com Deus, e a Palavra era Deus . A Palavra tornou-se carne e habitou entre nós" (João 1: 1, 14). Todas as coisas foram feitas através de Jesus, incluindo o universo material, bem como seres e autoridades espirituais (João 1: 3; Colossenses 1:15). A palavra "primogênito" em Colossenses 1:15 significa "pré-eminente", "herdeiro" e "primeiro em autoridade". Isso não significa que Jesus tenha nascido em um ponto do passado distante.
João Batista testificou de Jesus que "este é o Filho de Deus" (João 1:34). Jesus foi declarado pelo próprio Deus como o Filho de Deus com poder, pela ressurreição dentre os mortos. (Romanos 1: 4).
A intenção de Deus sempre foi ter uma família grande, tanto no céu como na terra. Os anjos são chamados de "filhos de Deus" (Gn 6:24; Jó 1: 6). A criação do primeiro homem, Adão, fazia parte do propósito de Deus de ter filhos. Lucas 3:38 chama Adão, "o Filho de Deus". Como veremos, Adão perdeu sua relação de filiação com Deus, o Pai, por meio da rebelião voluntária, quando ele escolheu ignorar a Palavra de Deus em relação à árvore do conhecimento do bem e do mal. Mas o plano de Deus de ter filhos verdadeiros na terra não estava totalmente frustrado neste momento. Na verdade, através da vitória de Jesus Cristo na Sua morte e ressurreição, todos nós podemos tornar-nos filhos de Deus mais uma vez através da fé em Jesus Cristo (Gálatas 3:26). Para este propósito, desdobrar até mesmo a criação aguarda ansiosamente (Romanos 8:19).
"Mas, todos os que o receberam, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus, mesmo para aqueles que crêem em Seu nome, que nasceram, não de sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade de homem, mas de Deus" (João 1: 12-13).
Nós vemos que tornar-se um filho de Deus envolve um novo nascimento, uma confiança e recebimento definitivo de Jesus e o poder de Seu nome. A palavra grega para "nome" - 'onema' também significa 'autoridade' e 'causa'. Devemos acreditar no poder de Jesus, Sua autoridade e Sua causa - a salvação da humanidade - para se tornarem filhos de Deus. Assim, nem todos os homens e mulheres são filhos de Deus. Por natureza e nascimento natural, somos "filhos da ira" (Efésios 2: 3). Jesus disse aos judeus religiosos do seu tempo: "Você é do seu pai o diabo" (João 8:44).
O apóstolo João, em sua primeira carta, escreve: "Eis que tipo de amor o Pai nos concedeu, para que sejamos chamados filhos de Deus! Portanto, o mundo não nos conhece, porque não o conheceu." (1 João 3: 1). Há uma diferença entre os filhos de Deus e os povos do mundo em geral.
Todas as pessoas e todas as coisas foram criadas para o prazer de Deus (Apocalipse 4:11). Deus sabia antes da criação que teria a inclinação de voltar para Ele em amor e confiança, e, por predestinação, ele se certificou de que eles seriam adotados em Sua família como filhos. "Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos" (Romanos 8:29). Efésios 1: 5 nos diz que os verdadeiros cristãos são adotados na família de Deus.
A humanidade, criada na imagem de Deus
"Então Deus criou o homem à sua imagem; À imagem de Deus, ele o criou; masculino e feminino, ele os criou." (Gênesis 1:27)
Homens e mulheres foram criados à imagem de Deus. Ser criado a imagem de Deus significa ser criado "como Deus" (Gênesis 1:26). As mulheres também devem ser parte da família de Deus e refletir a glória de Deus, assim como os homens. Na nova ordem de criação em Cristo, não existe nem homem nem mulher; Nós somos todos um em Cristo Jesus (Gálatas 3:28). Isso não significa que não há diferenças funcionais entre homens e mulheres na vida cristã ou na vida familiar, mas isso significa que uma mulher em Cristo é tão filha de Deus quanto um homem em Cristo.
Adão e Eva estavam cheios da glória de Deus. Este é o desejo de Deus para Seus filhos. Eles deveriam ser como Deus em caráter e, em menor grau, em capacidade. O fato de sermos feitos à imagem de Deus, mesmo que agora essa imagem seja distorcida através do pecado, nos torna magníficos e valiosos. Mesmo os homens caídos revelam algo da criatividade, do brilho e da natureza artística de Deus. O homem nunca deve ser tratado como um animal ou como um objeto. Devemos amar e respeitar todas as pessoas porque elas são feitas à imagem de Deus, com potencial para serem filhos de Deus na natureza por adoção.
Deus quer abençoar sua família
Deus, como já vimos anteriormente, é um Deus bom. Ele quer compartilhar todos os seus bens e tudo o que Ele tem conosco, porque Ele nos ama.
"O próprio Espírito testifica com os nossos espíritos que somos filhos de Deus e, se somos filhos, então herdeiros - herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo, se de fato sofremos com Ele, para que possamos ser glorificados juntos" (Romanos 8:16, 17).
Os verdadeiros filhos de Deus herdam todas as coisas em Cristo por causa do grande amor e generosidade de Deus para com os Seus filhos.
"Aquele que não poupou o Seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós, como Ele também não nos dará todas as coisas?" (Romanos 8:17). Deus não está prevenindo. Ele é um pai rico que lhe dará o que você precisa e mais! Quanto mais você acredita nisso, mais você vai ver isso em sua vida!
Devemos orar porque Deus dará coisas boas àqueles que o pedem! (Mateus 7: 7-11).
A vontade de Deus para nós é boa. A vontade de Deus não é definida como qualquer coisa que acontece, mas o que Ele declara é o Seu desejo para nós em Sua Palavra, que também é Sua Vontade. Sua vontade inclui:
1. Os seus mandamentos (o que Ele quer que façamos e como Ele quer que sejamos)
2. Suas promessas (o que ele quer fazer por nós).
Vamos agora dar uma breve olhada na vontade de Deus para Seus filhos - primeiro na ordem natural, então no espiritual (1 Coríntios 15:46)
A vontade de Deus é a prosperidade (tendo tudo o que você precisa e mais para você, sua família e seu ministério) (3 João 2, Is 48:17; Pv 10:22; 2 Cor 9: 8).
A vontade de Deus é que conhecemos o perdão (1 Jo 1: 8, 9)
A vontade de Deus é que não possamos pecar (1 João 2: 1). Ele deseja que sejamos obedientes em todas as coisas que Ele nos revela (Fp 2:12, 13).
A vontade de Deus é justiça, paz e alegria no Espírito Santo (Romanos 14:17), esperança (expectativa positiva do bem) e fé (Rm 15:13) para serem características permanentes de nossa vida.
A vontade de Deus é que sejamos cheios de amor (Romanos 5: 5)
A vontade de Deus é a libertação de seus filhos. Em Mateus 15:26, Jesus chama a libertação dos espíritos malignos "o pão dos filhos". Essa é a coisa mais básica que qualquer um forneceria para seus filhos – O pão.
Os problemas que nós e os outros experimentamos, portanto, não são devidos à vontade de Deus. O problema está conosco. Estamos dispostos a concordar com Sua Vontade, a sermos membros submissos de Sua família, cooperar com Ele, receber Seu amor e obedecer a Sua Palavra através da Sua graça e poder? Toda pessoa deve considerar cuidadosamente a sua própria atitude sobre este ponto.
O amor requer uma escolha
Alguns perguntam: "Se Deus é bom e tem todo o conhecimento e é poderoso, por que existe tanta maldade e sofrimento no mundo? Ele sabia que seria assim! Então, por quê?". A resposta está no valor que Deus coloca em ter filhos que o amam. O amor sem a possibilidade de experimentar a rejeição não é possível. Um computador ou robô não pode amar. Deus considerou que era melhor ter filhos reais, mesmo que isso significasse tanto sofrimento para se existir no mundo. Os valores de Deus podem ser diferentes dos nossos, mas estão certos! Além disso, Ele queria que seus filhos colocassem Satanás e seus poderes obscuros, os líderes da rebelião contra Deus, para envergonhar! (Efésios 3:10, 11). Era preciso demonstrar eternamente que todas as alternativas à vontade de Deus eram tolas!
Agora, Adão e Eva rejeitaram Deus - rejeitando Sua Palavra - e sucumbiram à tentação de serem moralmente independentes de Deus. Fazemos o mesmo toda vez que escolhemos nosso próprio caminho em contradição com a Palavra de Deus. Mas o plano de Deus de ter filhos e filhas não foi interrompido por este ato de alta traição, como veremos mais adiante. Mas, por enquanto, veremos o começo do pecado nos seres humanos e algumas das conseqüências desse pecado.
A Rebelião no Jardim
Deus tinha dado a Adão apenas uma restrição. "E o Senhor Deus ordenou ao homem, dizendo: "De toda árvore do jardim você pode comer livremente; mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, não comerás, porque no dia em que comerás, certamente morrerás" (Gênesis 2: 16-17). A obediência de Adão a Deus dependia de acreditar, confiar, respeitar e obedecer a esse único mandamento de Deus. Depois que Eva foi criada, Adão deve ter contado a Eva sobre esse comando. Mas Eva preferiu ouvir a voz da serpente do que à voz de seu marido. Ela pegou o fruto e comeu. (Ver Gênesis 3: 1-8). Adão sabia que sua esposa estava perdida porque era enganada pela serpente. Adão não foi enganado (2 Timóteo 2:14). Ele deliberadamente se rebelou contra Deus, optando por se unir a sua esposa no pecado, em vez de se apegar a Deus. Naquele dia, ambos morreram, espiritualmente. Todos os descendentes de Adão agora nascem espiritualmente mortos (Efésios 2: 1). E a morte espiritual prepara o caminho para a eventual morte física, que traz ao juízo e condenação eterna aqueles que se rebelaram contra o grande Deus.
Como Satanás enganou Eva?
1. Ele questionou a palavra de Deus para inspirar a dúvida na Palavra de Deus. "Deus realmente disse?" (Gn 3: 1)
2. Ele questionou a bondade de Deus: "Não comerás de toda árvore". (Gênesis 3: 1). Pervertendo as palavras de Deus, ele inspira dúvidas sobre a bondade de Deus.
- Ambas as dúvidas são ataques à mente do homem hoje.
3. Ele despertou suas emoções contrariando a Palavra de Deus. "Você certamente não morrerá". Satanás sabe que mentiras arrojadas construídas sobre um fundamento de desconfiança estabelecido anteriormente são meios efetivos de tentação.
4. Ele atrai sua imaginação. "Você será como Deus!", "Você será iluminado, conhecerá o bem e o mal" foram as promessas de Satanás para ela se ela comesse o fruto proibido.
Satanás usa a mesma estratégia hoje para atrair pessoas para o pecado.
Eva não foi guiada pelo seu espírito, nem pela palavra de Deus, mas por sua alma e corpo. A luxúria da carne "a árvore era boa para se comer" (Gn 3: 6), a luxúria dos olhos "foi agradável para os olhos", e o orgulho da vida "desejável para se tornar sábio". São esses três fatores que devemos superar em nossa guerra com o pecado e Satanás hoje. Jesus venceu os três no deserto quando tentado por Satanás (ver Mt. 4: 1- 11; 1Jo 2:16).
A humanidade pervertida como filhos de Satanás
As conseqüências dessa rebelião contra Deus afetaram não só Adão e Eva, mas também todos os seus descendentes. Adão "gerou um filho à sua própria semelhança, depois de sua imagem, e nomeou-o Sete" (Gen 5.3). Agora, a imagem de Deus no homem era pervertida, e aquela imagem pervertida se multiplicava através da procriação. Todos nós nos tornamos "filhos da ira" (Efésios 2: 3), "filhos da desobediência" em que Satanás, agora "o príncipe do poder do ar", trabalhou (Efésios 2: 2)
Mesmo as pessoas religiosas não estão isentas disso. Jesus disse aos judeus religiosos do seu tempo: "Você é seu pai, o diabo, e os desejos de seu pai, você quer satisfazer" (João 8:44).
João disse: "Nisto os filhos de Deus e os filhos do diabo são manifestos: quem não pratica a justiça não é de Deus, nem é aquele que não ama o seu irmão" (1 Jo 3:10).
Então, nem todos os homens são filhos de Deus como alguns diriam. Temos de ser adotados na família de Deus como filhos. (Gl 4: 5). Isso acontece através do arrependimento e da fé em Deus . Nós somos filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. (Gl 3:26). Aqueles sem fé em Cristo Jesus, portanto, não são filhos de Deus.
A humanidade caída está sob a maldição. (Ex 20: 5; Dt. 28: 15). A ira de Deus permanece sobre eles. (Jo 3:36; Romanos 1:18). Eles estão a caminho do inferno (Sl 9:17; 2 Tessalonicenses 1: 8,9). Eles são escravos do pecado (Romanos 6:20), filhos da ira (Efésios 2: 3), contrários à aliança da promessa, sem esperança e sem Deus no mundo (Efésios 2, 12). Quem pode ser salvo? Com o homem é impossível, mas com Deus, todas as coisas são possíveis (Mateus 19: 25-26).
Ele levou o próprio Jesus Cristo para salvar o homem desta bagunça. Adão recebeu o domínio de Deus no jardim, mas quando obedeceu a Satanás, ele deu essa autoridade para governar os assuntos da Terra em grande medida para Satanás. Satanás tornou-se seu deus. (2 Cor. 4: 4). É por isso que o mundo está em confusão hoje - porque as pessoas ainda acreditam nas mentiras do diabo em vez da palavra de Deus. Em vez de receber a iluminação prometida, Adão e Eva tornaram-se espiritualmente cegos. O pecado separa-se de Deus, o salário do pecado é a morte. (Is 59: 1, 2; Rm 3:23) O pecado não é apenas um ato. É uma atitude do coração - a atitude de rebelião.
A Natureza da Rebelião
A rebelião está relacionada ao orgulho e é a recusa de submeter-se à autoridade de Deus e é o espírito que leva os homens a fazer coisas perversas que prejudicam o coração de Deus. Lembremos que Deus é bom, sábio e justo. Rebelião contra Deus, então, é estúpido e malvado. Está errado. Merece ser punido, isolado, erradicado pelo bem de Deus e todo o Universo.
É a natureza rebelde no homem que o faz querer desobedecer a palavra de Deus e fazer a sua própria vontade. Essa natureza rebelde deve ser morta antes que o homem possa se tornar um filho de Deus amoroso e confiante.
A rebelião é como o pecado da feitiçaria, de acordo com a Palavra de Deus. (1 Sm 15:23). Deus odeia intensamente e nunca aceita. Não é justo se rebelar contra Deus, porque Deus é bom e justo, e nunca toma decisões ruins. O rebelde considera que ele sabe melhor do que Deus. É esse orgulho que faz com que ele se recuse a ouvir a palavra ou a voz de Deus. Separando-se da sabedoria de Deus, o rebelde é um tolo. Ele é o tolo mencionado no livro de Provérbios. Aqueles que não ouvem a palavra de Deus nunca podem agradar a Deus. Você deve decidir o que prefere - o espírito de rebelião ou o espírito de obediência a Deus. Se você quer conhecer Deus e ser perdoado, deve abandonar sua rebelião e admitir que estava errado. Isso significa que vai por um caminho diferente do resto do mundo, que é liderado por esse espírito de rebelião contra Deus. Você deve fazer a escolha.
Muitas pessoas estão chocadas e ofendidas por esse tipo de ensino preto e branco. Muitos se consideram muito bons - e certamente não merecem qualquer tipo de condenação. A próxima lição sobre a lei de Deus, no entanto, revela algo que Deus pede de nós, que devemos a nossa existência e prosperidade e tudo o que desfrutamos para Deus e Seu poder criativo. Devemos considerar-nos pelo menos uma vez em nossa vida à luz da Lei de Deus - antes de decidir se achamos que precisamos de um Salvador ou não.

0

Comentários

Nenhum comentário